was successfully added to your cart.

Desde muito tempo, artistas novatos utilizam selos independentes para viabilizar seus projetos musicais. A primeira gravação do Elvis, por exemplo, foi para um selo independente, o Menphis. No Brasil, os primeiros lançamentos independentes são os álbuns de Tim Maia, lançados em 1975 e 1976, e o disco Feito em Casa do músico Antonio Adolfo, lançado em 1977.

O que é um Selo Independente?

Segundo a definição oficial da ABMI (Associação Brasileira da Música Independente), são consideradas selos (ou gravadoras) independentes brasileiras todas aquelas que têm a maioria de seu capital nacional, independente de seu tamanho. Estima-se que existam, formal ou informalmente, de trezentas a quinhentas gravadoras ou selos desta categoria no Brasil, com uma média pequena de títulos por gravadora. Elas são responsáveis pelo maior número de lançamentos de discos anuais mas tem uma participação no faturamento do setor de menos de 5%. Todos estes dados são estimados, já que não existem dados confiáveis sobre a produção independente de música no Brasil.
Muitos são mais simplistas e dizem que selos independentes são todas as não ligadas às grandes gravadoras multinacionais, como a Sony Music, Warner Music Group, Universal Music Group e EMI.

Selos Independentes crescem devido às novas tecnologias

As tecnologias digitais viabilizaram o surgimento de gravadoras domésticas com cada vez mais qualidade e redução de custos para a gravação e impressão de CDs independentes. Hoje em dia, muitos artistas, consagrados ou não, podem ter em sua própria casa, um estúdio de qualidade similar às grandes gravadoras.
O músico Lobão é um exemplo de um artista que sempre primou pela sua independência musical e, recentemente, lançou uma campanha de financiamento coletivo para viabilizar a gravação de seu CD que será feito em seu próprio estúdio (e o cantor tocará todos os instrumentos). Será um álbum totalmente independente!

Vantagens dos Selos Independentes para os artistas

A vantagem dos selos independentes é que o artista possui total controle sobre sua obra, sem o intermédio de gravadoras.

  • Escolha do repertório: esta é a principal vantagem, afinal, todo artista sonha em ter seu projeto e fazer sucesso com algo genuíno, algo que represente a sua essência como artista.
  • Tempo para a gravação do CD: os artistas consagrados gravam seus CDs entre suas turnês ou durante suas férias; eles gravam quando possuem tempo, por isso, o estúdio precisa ser perto, de preferência, em suas casas.
  • Projeto de design: desde as fotos, o layout e a capa do CD; a “cara” de seu CD.
  • Divulgação do CD: confesso que esta é uma etapa um pouco difícil para os artistas novos que gravam seus CDs via selos independentes, mas há diversas formas de divulgação que podem agregar no branding e nas vendas, como o financiamento coletivo, por exemplo.

Músicos independentes arrecadam grana e promovem CDs com financiamento coletivo

Uma alternativa rápida e super utilizada pelos músicos tem sido o financiamento coletivo (crowdfunding). O que significa arrecadar fundos através de uma multidão que acredita no seu projeto musical.

Na Kickante, plataforma onde 38% das campanhas culturais são voltadas para o setor musical, não poderia ser diferente. A plataforma já lançou mais de 200 campanhas de financiamento coletivo para música. Entre os destaques, estão as recentes campanhas do Lobão, Leila Pinheiro, Nasi e Alf. Lobão sempre buscou sua independência musical e é avesso às amarras de gravadoras, agora conta com o apoio dos fãs para acabar com este longo hiato de 10 anos sem gravar. “Por esse meio, a gente só entra em contrato com pessoas que apoiam nosso produto”, comenta Lobão.

E criar uma campanha de financiamento coletivo é bem simples. Basta criar um texto da campanha e defender seu projeto musical; explicar porque merece cada contribuição e o que fará com o dinheiro; incluir recompensas criativas e que sejam capaz de atrair contribuidores; e divulgar para o máximo de pessoas possível!

Objetivos e Metas de Financiamento Coletivo para Música

Dentre os diferentes objetivos daqueles que nos procuram para lançar campanhas musicais de financiamento coletivo, alguns costumam ser mais frequentes:

  • Recursos para gravação de um EP ou álbum;
  • Recursos para gravação de vídeo-clipes ou documentários;
  • Apoio financeiro para a realização de shows e espetáculos;
  • Recursos financeiros para divulgação e marketing de CDs.

Para definir a meta (valor que precisa captar) para seu projeto de música é importante levar em consideração todos os custos envolvidos na produção e distribuição musical. Inclua sempre também a taxa da administrativa da plataforma de financiamento coletivo, para poder chegar ao valor líquido necessário.

Veja um exemplo de definição de meta da campanha de financiamento coletivo do cantor Esteban Tavares, que arrecadou mais de R$80 mil reais:

custos da campanha de financiamento coletivo do esteban tavaresBenefícios do Financiamento Coletivo para Músicos Independentes

Financiamento coletivo não é só arrecadar dinheiro para algum projeto. Muitos artistas, novos e até artistas consagrados estão utilizando este método de arrecadação, pois conseguem obter informações muito importantes para a sua carreira.

Com financiamento coletivo para músicos, é possível:

  • Divulgar você e/ou sua banda para todo o Brasil;
  • Fazer a pré-venda de seu CD, DVD ou ingressos para o show;
  • Ficar mais próximo dos fãs;
  • Avaliar o interesse do público sobre o seu trabalho;
  • Descobrir em que região há maior interesse (e deve ser explorado);
  • Após avaliar a campanha, você poderá calcular quantas cópias do CD será capaz de vender para todo o Brasil, diminuindo o desperdício de verba.

Veja um artigo que preparamos com dicas para criar a sua campanha de financiamento coletivo de música e lance seu CD, DVD, EP ou outro projeto musical já!

Crie sua campanha de crowdfunding!

3 Comments

Leave a Reply