was successfully added to your cart.

Tendência no exterior, o uso do financiamento coletivo como estratégia de divulgação e pré-venda para lançamento de produtos e serviços tem mostrado grande potencial entre os empreendedores brasileiros. Na fase inicial, em um cenário onde o consumidor ainda desconhece a empresa e os riscos são altos, plataformas de financiamento coletivo aparecem como grandes alternativas para iniciar este processo. Elas permitem que os usuários, futuros clientes, conheçam a história da Editora, suas obras e suas necessidades financeiras e, caso gostem e se identifiquem com o projeto, contribuam para a produção do Livro. Para o escritor, também é o mesmo processo, ele pode criar uma campanha de financiamento coletivo e arrecadar fundos para publicar seu livro de forma independente. Tudo isso, de forma rápida e sem burocracia.

Com uma campanha de financiamento coletivo também é possível entender a necessidade do mercado em relação ao novo produto e avaliar a aceitação do público. O bom de arrecadar fundos é que, ao avaliar o mercado, a Editora ou o Escritor poderão produzir somente a quantidade de cópias que a demanda necessita. E, de olho nesta nova tendência, a plataforma de financiamento coletivo Kickante, acaba de trazer um novo conceito ao mercado, o crowdpublishing. São editoras que recorrem à ferramenta como estratégia para divulgar e lançar livros – como a Editora Simonsen, que acaba de ganhar um canal exclusivo para suas publicações.

Dedos escalando livros

Rodrigo Simonsen, empreendedor responsável pela editora, resolveu investir nesse ramo por acreditar que há uma lacuna entre publicações de qualidade e o interesse do leitor. “Sabemos que o brasileiro está aos poucos adquirindo o hábito da leitura. Uma questão que fica é se existe falta de interesse pela leitura e se isso é generalizado e irreversível, ou as editoras é que estão com dificuldade para conquistar seu público?”, diz Rodrigo. Após anos trabalhando no mercado publicitário e no mercado editorial, ele resolveu abrir a Editora Simonsen para buscar a mudança desse cenário. “O espírito de vocação, aliado aos estudos de muitos anos, confere uma espécie de justificativa moral da minha própria existência, uma vontade de contribuir com as necessidades culturais do nosso país”, comenta Rodrigo.

Ele optou por trabalhar com financiamento coletivo justamente pela oportunidade de conhecer o potencial do seu produto, captar o valor necessário para a produção e aproveitar mais essa alternativa de grande alcance para chegar mais perto do consumidor. “A opção pelo financiamento coletivo cai como uma luva: podemos desvendar a existência desses públicos correndo pouco risco de perdas financeiras, ao mesmo tempo em que buscamos atender aos seus desejos e demandas, fazendo com que eles se engajem em torno de algo tão belo quanto a aquisição de conhecimento”, explica Simonsen.

Rapaz lendo livrp

A editora já lançou oito campanhas de sucesso no canal da Editora Simonsen na Kickante. Seis delas estão finalizadas com mais de 100% da meta arrecadada e duas estão em andamento com grande aceitação e chances de arrecadação total.

Dica: Você pode assistir ao Webinar: Como lançar 3 campanhas de crowdfunding de sucesso em 3 meses oferecido pela Kickante em parceria com a Editora Simonsen.

Além da Simonsen, a A Realejo Livros, do livreiro José Luiz Tahan, também possui um canal na plataforma e já lançou duas campanhas de sucesso, também com mais de 100% da meta arrecadada. Com a arrecadação, a Editora adquiriu fundos para viabilizar a produção dos livros “Pepe, O Canhão da Vila” e “Quando os mudos conversam”.
Há um grande potencial para campanhas de financiamento coletivo de livros no Brasil devido ao resultado rápido e o fato de eliminar a necessidade de busca por patrocínio de grandes empresas ou até de empréstimos aos bancos. De acordo com a CEO da Kickante, Tahiana D’Edgmont, o conceito de “crowdpublishing”, engloba editoras que estão recorrendo ao crowdfunding para lançar uma série de publicações.

Crie sua campanha de crowdfunding!

Leave a Reply